quarta-feira, novembro 24, 2004

senti

o tempo passa ao seu próprio ritmo, sou uma espectadora sua e ele meu. há algum tempo, o tempo deixou de correr. entretanto eu tentei partir as paredes, porque ele fechava-me no seu meio. ao tentar, estive ao lado de pessoas lindas, como eu nem supunha que existissem. tive ocasiões caricatas, momentos de ternura e amor. fui rebelde e não o fui. alheei-me e tentei encontrar-me. mas nada chegava para que o tempo me abrisse um buraquinho para fugir do que eu houvera sido e do que me tinham feito... terá chegado agora a hora? deixas-me ir, tempo?...


A saudade corrói,
O desprezo mata.
O amor trata
Fugindo.
O amor dói.

No que sinto sofro,
Do que sinto rio,
Do rio tento fugir.

E de um sopro
Apagas a vela do desafio.
É mais fácil não sentir.

(5 Agosto 2003)



senti. mais não, agora não...
boa noite, tempo*

4 comentários:

Lampimampi disse...

oh miuda, as cenas que tens escrito aqui estao LINDAS!!!
porque estiveste tanto tempo sem escrever? es uma totozinha linda!
Beijoca

Mariana Pinto Leite disse...

entao rapariga... isso é tudo tristeza?
Não te deixes abalar porque, num dia, o sol não brilhou, e noutro esteve a chover... tens a vida inteira pela frente... ainda que sintas uma "doce melancolia", não deve passar disso... doce... e não dor!
és uma miuda forte!
Beijinhos
Mariana Acampakid!

phoebe disse...

doce melancolia, sim. já não dói tanto, linda :)bigada pela atenção********* tu também o és!********

Tecido_humano disse...

quando alguem se sente deprimido não deve sair desse buraco, ou seja interioriza toda essa depressão e 'expulsa-a' atravez da escritura, assim a tua tristeza passa para o papel deixando-te a alma mais ah vontade.... nao fazia ideia que escrevias, curti o poema, ja pensaste em escrever um livro? tou na brinca continua a exprimir o teu sentimento no papel, tens jeito para isso =), td de bom *