quinta-feira, julho 10, 2008

morre uma borbulha e nasce outra do outro lado

às vezes. ou faz de conta.


momento solitário de necessidade de mimo. alguma coisa morre, ou o eterno sobrepõe o objecto?



até amanhã*

3 comentários:

cadernodelinhas disse...

réplica efeméride que se torna poesia e\ou ciência, mas sempre essencial à sobrevivência

bj

as formigas disse...

desculpa a pergunta tão directa; mas quem és tu? serás a Inês do Trip? em caso afirmativo tenho um beijinho para te dar. Luis Campiao

mar!ana disse...

Beijo na Inês (L)