sábado, novembro 01, 2008

existência pendular

.


truque de nunca pertencer. no caminho, destruição desconstruída. pedaços. ervas mortas e coisas verdes e amarelas. não pertencer aqui ou ali, continuar caminho. enxugar a humidade, vestir e despir lã, olhar nos olhos, continuar caminho. não ser isto nem aquilo, ver o cavalo estático em pasto, não tentar acelerar o tempo ou espaço, romper apatias, continuar caminho.

ultrapassar o transcendente. ser pendular. domínios de existência.

tenho o âmago susceptível. já posso escrever.

2 comentários:

cadernodelinhas disse...

Ainda bem que já podes; Lembrou-me:

"Era um cavalo alazão, e à sua volta a batalha acendia-se como um tição de coragem.
As crinas eram cor da flor da romãzeira e as orelhas tinham a forma das folhas de mirto.
No peito, ao meio da cor vermelha, abria-se uma estrela branca, como as bolhas claras que nascem numa taça de vinho rubro." (H.H.)

Akio disse...

L'importante è non voltarsi mai.