sexta-feira, dezembro 19, 2008

estranheza

foto de Akio Takemoto, 2007



já fui





sob o olhar de quem via assim as coisas. nem sei onde pus aquelas calças e saias e coisas largas, sei do colar e não o uso. não sei onde é que me arrumei, mas deve ter sido a primeira vez. como não costumo ser organizada, não sei onde fui parar. por enquanto estou pelo centro-sul no país mais ocidental da europa, diz a bússula. naquele então estava no centro-norte do país bota. e era uma lomo fish eye, e eu levei um pin da embaixada lomográfica do bairro alto. as coisas pareciam todas mais agressivas e vivas. eu escrevia menos e vivia mais. agora vivo menos mas também não escrevo muito. venha estalo no meio da cara.





não sei o que fiz ao que era de mim. se calhar vendi e tapei com boas-figuras. tenho saudades de andar a chorar e a dançar mais no meio da rua, de ter comentários mais desagradáveis que o suportável e de sentir a consciência eminentemente mais tranquila porque mais exposta.

deve ter sido isso, vesti-me. há quem diga que cresci

4 comentários:

mar!ana disse...

O que a gente nos faz para "parecer bem" ao resto do mundo...

Para que nos encontrem, perdemo-nos.

LC disse...

desejo-te um ano com mt sucesso e coisinhas boas.
mts beijinhos!

cadernodelinhas disse...

Mais do que uma resposta, uma partilha de\à S.K.:
"A sanidade encontra-se no centro da convulsão, onde a loucura é arrasada pela alma dividida.
Conheço-me.
Vejo-me.
(...)
Portinhola abre
Luz decidida"

abraço-eterno

Lampimampi disse...

ESTALO

=D
Jeitosa, mesmo que a sociedade te mude um cadito (ou aue tu mudes por ela), tu continuas a ser tu. E é por isso que eu gosto de ti!


(...um bocadinho, nada de exageros! =P )


Beijoca grande e boaaaaaaa
Luis
=)